• 29ª Baja Portalegre 500


    22 a 24 de Outubro de 2015
  • Baja TT Idanha-a-Nova


    11 e 12 de Setembro de 2015
  • Baja TT Proença / Mação / Oleiros


    20 e 21 de Junho de 2015
  • Baja Cidade Europeia do Desporto


    30 e 21 de Maio de 2015
  • Rali TT Vinhos Carmim


    1 e 2 de Maio de 2015
  • Baja TT Rota do Douro


    27 e 28 de Março

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

QMMF ANNOUNCES NEW FORMAT AND CHALLENGING ROUTE FOR 2017 QATAR CROSS-COUNTRY RALLY


· Entries now open for Qatar’s FIA and FIM World Championship counting round 

· Organisers announce new super special stage will kick-start event in Doha area 

Officials at the Qatar Motor and Motorcycle Federation (QMMF) are currently finalising the route for this year’s renamed Qatar Cross-Country Rally, round four of the FIA Cross-Country Rally World Cup and round two of the FIM Cross-Country Rallies World Championship. They also announced that the revised five-day event would take place on April 17-22.

 Traditionally one of the most demanding rounds of both cross-country championships, in terms of tricky navigation and intricate tracks and sand trails, this year’s event has been shortened from five selective sections to four and features a number of exciting innovations.

  “We have fine tuned the route and the format for the Sealine event, based on feedback and our intuition,” said QMMF President Abdulrahman Al-Mannai. “We have reduced the number of long selective sections from five to four and reduced the actual competitive distance to around 1,380km from 1,635km. The rally will also cover a larger geographical area on this occasion and we will have less stony sections.” 

Rally headquarters and the media centre will be based at the Losail international circuit for a second year. The timetable has been modified slightly and administration checks and pre-event scrutineering will now take place at Losail, to the north of Doha, on Monday, April 17.

 After a drivers’ briefing and the pre-event press conference, competitors will tackle a new super special stage in the Doha area on Tuesday, April 18. The first of four selective sections through the desert gets underway on April 19 and is followed by three further sections on April 20, April 21 and April 22 - each of around 350km.

 The fourth stage on April 21 will take place entirely in the north of the country for the first time, while two of the stages will finish in the dunes around the former bivouac location at Sealine, south of Doha. The fourth stage will start in the same area.

 Portugal’s Pedro Almeida will continue to work as Clerk of the Course for the FIA event, with Rashed Al-Sulaiti acting as his deputy and Frenchman Franck Vayssié appointed as the new Rally Director.

 The former Sealine event developed from the Qatar International Baja that ran as a candidate event for the FIA World Cup in 2011 and was won by Qatar’s Nasser Saleh Al-Attiyah at the wheel of a SAM Mercedes 35CC. Australia’s Justin Taylor and local rider Adel Hussein Abdulla won the motorcycle and quad categories.

 The event is now entering its sixth season as a round of both the FIA and FIM World Championships. Al-Attiyah claimed further wins in 2012, 2014, 2015 and 2016 in Toyotas and Minis and two-time Dakar winner Jean-Louis Schlesser was victorious in 2013.

 Five-time Dakar winner Marc Coma dominated the motorcycle category with his KTM in 2012, 2013 and 2015, with Spaniard Joan-Barreda Bort winning in 2014 and recent Dakar winner Sam Sunderland claiming another win for KTM last year.

Poland’s Rafal Sonik won the quad event on a Honda TRX 700 in 2012, 2013 and 2015, although Qatar’s Mohammed Abu Issa was victorious in 2014 and Chile’s Ignacio Casale claimed the win in 2016.

The closing date for entries at reduced rates is Monday, March 6, with the final cut-off planned for Monday, March 27.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Ricardo Carvalho e Nuno Tavares juntos na defesa das cores da YAMAHA no Campeonato Nacional Todo-o-Terreno SSV 2017

Naquela que promete ser uma dupla de peso no Campeonato Nacional Todo-o-Terreno em SSV (ex UTV/Buggy), o 3º Classificado de 2016 e o Campeão Nacional da especialidade em 2013, juntam-se nesta YAMAHA Supported RACING Team, com o objetivo da conquista do título, não só na classe não turbo, mas também no assalto à geral do campeonato, numa altura em que os SSV têm sido o polo de atração do todo-o-terreno nacional.

 Para Ricardo Carvalho, a vinda do ex-campeão da especialidade só acrescenta valor e valoriza melhor que ninguém o piloto do Montijo, “É um prazer receber o Nuno Tavares como colega de equipa, um piloto jovem que sabe o que é vencer este campeonato e tem sido sempre muito rápido nas aparições que tem feito ao campeonato. Em 2016 foi o meu primeiro ano nos SSV e apesar de uma boa primeira parte, tivemos muito azar numa altura em que pensava que as provas que faltavam me eram teoricamente mais favoráveis, por tudo isso temos que estar sempre bem, para conseguir discutir este campeonato até ao fim. Espero que tanto eu como o Nuno sejamos competitivos para discutir todas as corridas até à bandeira de xadrez.” 

Já para Nuno Tavares este é um novo desafio que o piloto diz-se preparado para enfrentar, “Quando falei pela primeira vez com o Vitor Cândido não pensava fazer todo o campeonato de 2017, pensava participar em algumas provas como aconteceu em 2016, onde só fiz duas corridas e andei sempre nas primeiras posições até que alguns problemas técnicos me impediram de obter os resultados que ambicionávamos. Com este convite, fiquei muito motivado com o projeto e recebi logo o total apoio da minha família e amigos, é como dizer, de toda a família Beltauto e decidi aceitar este projeto e estou mais confiante que nunca para conjuntamente com o Ricardo Carvalho mostrar todo o potencial do YXZ1000R SS e naturalmente afirmar todo o meu talento para discutir as corridas. Estou convencido que me vou habituar ao YAMAHA e ser competitivo desde o início, porque é um carro que tem um prazer ímpar de condução.” 

Para Vitor Cândido (Dir. Desportivo da equipa) esta é uma dupla perfeita, “ Todos sabem que o Ricardo Carvalho assumiu o papel principal na defesa das cores da YAMAHA no Campeonato de 2016, venceu duas corridas, venceu também as 3h de Fronteira e não fosse alguns azares incrivelmente inesperados, teríamos certamente discutido o título até ao Portalegre. Para 2017 adivinha-se um campeonato muito, mas muito competitivo, com grandes pilotos e muitos e potentes carros da concorrência, e em minha opinião era importante ter um segundo piloto na estrutura capaz de discutir qualquer corrida e o Nuno Tavares para além de já ter sido Campeão nos UTV/Buggy, é um jovem de 24 anos oriundo da formação do karting, assim como o Ricardo e é indiscutivelmente um dos mais rápidos do plantel nacional. Por isso, penso que a YAMAHA, para além destes dois excelentes pilotos, conta ainda com outras estruturas e outros tantos pilotos muito velozes, capazes também eles de discutir qualquer corrida e que vão naturalmente ajudar a defender a nossa marca. Por tudo isto, acredito que todas as equipas YAMAHA juntas, irão conseguir dar muitas alegrias aos fãs do YXZ1000R SS da YAMAHA.”

Numa altura em que a estrutura procura ainda apoios para 2017, a apresentação oficial fica para o final de Fevereiro.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Vasilyev wins 2017 Africa Eco Race with the MINI ALL4 Racing

· Twelve stages across Africa take the field to the finish in Dakar 
· Vasilyev wins the desert rally in superior style.

 X-raid congratulates Vladimir Vasilyev and Konstantin Zhiltsov on their win in the ninth Africa Eco Race from Monaco to Dakar. With their MINI ALL4 Racing, the two Russians won the rally with a lead of more than two hours over Miroslav Zapletal in second position. In his debut appearance in the Africa Eco Race, Vasilyev won a total of four of the 12 stages.

 Particularly in the first week, Vasilyev and Zhiltsov opened a huge gap on their competitors by dominating and winning the first three special stages. Later, they succeeded in adding another stage win in Mauritania to their tally. Also helpful: the Russian pairing and their MINI ALL4 Racing contested the rally without encountering any technical problems.

 The Africa Eco Race started on the 31st December in Monaco. New Year’s Day was used for ferrying the field to Morocco. From Nador, the event took the field across Morocco and Mauritania to Senegal and its capital Dakar. There, the participants contested the final stage on 14th January at the well-known Lac Rose.

  “We are really happy about the fact that a MINI ALL4 Racing built by us succeeded in winning the Africa Eco Race that is following the original tracks of the Dakar Rally,” said Sven Quandt, team manager and founder of the X-raid team. “We congratulate Vladimir and Konstantin on their great performance. They drove a clever rally what allowed them to obtain such a big lead over the rest of the field.”

 Overall ranking with all the 12 stages contested:

1st V. Vasilyev (RUS) / K. Zhiltsov (RUS) MINI ALL4 Racing – 36h 33m 40s
2nd M. Zapletal (CSZ) / M. Sykora (CSZ) Hummer – 38h 44m 10s
3rd D. Housieaux (FRA) / C. Crespo (FRA) Optimus – 38h 52m 37s

CRN Competition cumpre objetivo e leva pilotos até Buenos Aires

Pilotos tiveram um desempenho notável e repetiram feito de 2011 

Os dois pilotos portugueses inscritos pela CRN Competition no Dakar 2017 onde competiram aos comandos de motos Yamaha WR450F na Classe Super Prodution, conseguiram terminar aquela que é a mais exigente maratona de todo-o-terreno do Mundo. Fausto Mota e Rui Oliveira, que já tinham competido e sido bem-sucedidos em 2011, chegaram a Buenos Aires, na Argentina, depois de ultrapassadas inúmeras dificuldades encontradas nesta edição de 2017, com particular destaque para um problema de saúde que quase ia impedindo Rui Oliveira de chegar ao fim. Para trás ficou o colega e companheiro de equipa, o espanhol Oscar Romero, que foi forçado a desistir devido a problemas mecânicos registados na 8ª etapa deste rali, quando ocupava uma excelente 38º posição.

  O início da mítica maratona 

A chegada a Assunção marcou o início daquela que é uma das mais míticas maratonas internacionais de todo-o-terreno. Rui Oliveira revela que foram “muito bem recebidos” e Fausto Mota acrescenta que “aproveitaram para fazer os últimos preparativos na mota e para ter um primeiro contacto com o Paraguai”. Os pilotos CRN Competition optaram por um início de prova tranquilo para “não comprometer os resultados de uma competição que se afigurava longa e este ano, especialmente dura”. Qualquer erro poderia comprometer a sua prestação.

  Altitude não condicionou equipa 

A passagem para a Bolívia, na 4ª etapa, que marcou o início da competição em altitude, correu de feição à equipa que sentiu somente algumas diferenças no desempenho da mota. “A verdade é que a altitude não nos afetou em demasia. Temos que agradecer os conselhos de alguns amigos com experiência em altitude”, refere Fausto Mota.

  Etapas anuladas obrigaram a esforço extra 

E se as etapas em altitude não foram um problema para a equipa o mesmo não se pode dizer das etapas anuladas que obrigaram a fazer ligações de noite, com muito pó, juntamente com os camiões de apoio, o que se tornou muito perigoso. Para Rui Oliveira e Fausto Mota a anulação da sexta e nona etapas “obrigou a um esforço extra e revelaram-se muito duras, para nós que tínhamos apostado na regularidade” Muitos quilómetros, em ligações feitas de noite, juntamente com os camiões de apoio e com muito pó, revelaram-se perigosos e prejudicaram o nosso desempenho desportivo, já que assumíamos a aposta na regularidade como um dos principais objetivos”. Ainda na Bolívia, em La Paz, a equipa gozou o dia de descanso no qual “aproveitámos para fazer uma revisão às motas”, como refere Rui Oliveira, que implicou “verificar a qualidade do motor das motas, se seria ou não necessário trocar os mesmos, mas chegámos à conclusão que estavam em perfeitas condições”, acrescenta Fausto Mota.

  A garra e a determinação que se lhes reconhece 

A saúde atraiçoou Rui Oliveira que cumpriu as últimas etapas já demonstrando sinais evidentes de doença. Indisposto e sem forças o piloto cumpriu os últimos quilómetros desta dura competição. “Foi muito difícil, sofri bastante, perdi as forças e tinha vómitos. Foram dias muito complicados mas nunca perdi a garra e força de vontade de terminar a competição. Agradeço à médica da X-Raid que me ajudou a recuperar”. A esta equipa que apostou na regularidade valeu-lhe a excelente estrutura e o trabalho para um objetivo comum. “Além disso somos amigos e estávamos focados na mesma missão, o que ajudou bastante”, tal como refere Rui Oliveira.

  Um sonho realizado 

A CRN Competition conseguiu terminar o Dakar, num ano especialmente duro e marcado por muitas desistências. São muitos a quem devo agradecer, refere Rui Oliveira, “em especial à minha família que teve de suportar um ano de ausência, o que nem sempre foi fácil. Agradeço também aos meus patrocinadores, ao meu treinador e ao Pedro (Bravuras), meu companheiro de todas as viagens e de muitos e longos treinos realizados ao longo do ano”. Fausto Mota, reforça os agradecimentos à família e patrocinadores, bem como “a todos os amigos que me apoiaram e ao Pedro Oliveira pela dedicação ao projeto”.

E o futuro.... 

Ambos referem que agora se vão dedicar à vida profissional e deixar o tempo decidir, mas deixam a promessa para que contemos “com algo desafiador”.

domingo, 15 de janeiro de 2017

Dakar 2017: IVECO de novo no pódio do rali mais duro do mundo

O Rali Dakar chegou ontem ao fim, com a realização da 12ª Etapa. Cumprindo uma curtíssima Especial de 64 km à volta de Río Cuarto, os participantes conduziram os seus veículos até à linha de chegada para concluir o rally-raid mais difícil do mundo.

 Líder do Team PETRONAS De Rooy IVECO e vencedor das edições de 2012 e 2016 do Dakar com a IVECO, Gerard de Rooy colocou o seu Powerstar no 3º lugar do pódio, depois de uma semana cheia de adversidades e em constante luta com os seus mais directos adversários.

 Apesar de ter estado no comando da prova, o holandês debateu-se com diversos furos no decorrer das etapas, fruto dos quais o veterano piloto cairia diversos lugares na classificação, ficando atrás de diversos outros veículos, o que lhe dificultou bastante a condução. Com muita poeira na sua frente e muito poucas oportunidades para ultrapassar, De Rooy viu as suas hipóteses de recuperar a liderança cada vez mais limitadas. Aproveitando a potência e eficácia do seu Powerstar, fundamentais na sua tentativa, o piloto holandês conseguiu rubricar mais um lugar no pódio, terminando no 3º posto, a 41m19s do vencedor do Dakar deste ano, Eduard Nikolaev.

 Nas últimas etapas, os IVECO Trakker de Ton van Genugten e Wuf van Ginkel andaram sempre juntos e conseguiram subir alguns lugares na classificação, mesmo depois de terem perdido mais de seis horas com os seus camiões atolados na lama. Ao volante do camião #507, Ton van Genugten concluiu a prova na 16ª posição, com quase mais seis horas de diferença para o líder, ficando Van Ginkel logo atrás do seu colega de equipa, a mais de oito horas.

 Aos comandos de outro IVECO Powerstar, Federico Villagra terminou o Rali Dakar de 2017 logo atrás de De Rooy, ou seja, no 4º posto. O argentino não conseguiu repetir o 3º lugar alcançado no ano passado e ficou também por realizar o seu objectivo de vencer uma Etapa. No entanto, nesta que foi a sua segunda participação com a IVECO, Villagra mostrou bem todo o seu potencial.

 Classificação Geral – Dakar 2017

 1. Eduard Nikolaev (Kamaz) 27h58m24s
2. Dmitry Sotnikov (Kamaz) +18m58s
3. Gerard de Rooy (IVECO) +41m19s
4. Federico Villagra (IVECO) +1h00m04s
 5. Airat Mardeev (Kamaz) +2h26m50s
-----------
 15. Ton van Genugten (IVECO) +6h58m03s 16. Wuf van Ginkel (IVECO) +8h19m48s

Pedro Bianchi Prata festeja nono Dakar terminado

Piloto português cumpriu com êxito a sua missão na equipa Honda 

Pedro Bianchi Prata já o demonstrou por inúmeras vezes ao longo da sua longa e produtiva carreira desportiva que não é piloto nem pessoa de baixar os braços. A poucos dias do Dakar 2017 arrancar tinha praticamente esgotado todos os esforços para mais uma participação na grande maratona sul-americana, quando lhe surgiu um convite irrecusável. Um convite e um desafio fantástico que permitiu ao atual campeão da europa de bajas cumprir com êxito a sua nona presença na prova em outras tantas participações.

 Claro que aos comandos de uma Honda CRF 450 Rally, uma moto fantástica que Pedro Bianchi Prata estreou praticamente no inicio do rali, se poderia desejar que o Pedro lutasse por um bom resultado, mas não era essa a sua missão. Teve oportunidade de andar bem, mas também teve de o fazer de uma forma extremamente cuidadosa quando era sua missão entregar os seus pneus no melhor estado possível a Joan Barreda no final da primeira metade da etapa maratona. Também teve de se “aguentar” com os pneus completamente desgastados que lhe foram entregues pelo piloto espanhol para a jornada do dia seguinte quando as pistas ficaram extremamente escorregadias das chuvas intensas que caíram.

 Parou para rebocar o americano Ricky Brabec e transportou 30 quilos de material para serem utilizados na etapa maratona, quando lhe coube ainda dar assistência a todas as motos da Honda HRC. Muitas histórias irá por certo trazer para Portugal, mas seguramente o que ficará no currículo é que participou com sucesso no Dakar 2017, pela nona vez.

  “Chegámos a Buenos Aires depois de uma ligação dura de 700 quilómetros. Muita gente à espera da caravana do Dakar mesmo que a competição já tenha terminado. É isto o Dakar. Na especial que se realizou no inicio da etapa tive de esperar quase uma hora pelos pilotos da equipa (a partida foi dada pela ordem inversa) mas esse é o meu trabalho. Cumpri a minha função e está feito mais um Dakar. Nove Dakar começados, nove Dakar acabados. Muito obrigado a todos os que me apoiaram”.

TOYOTA’S ROMA, DE VILLIERS AND RAUTENBACH CONFIRM FOURTH, FIFTH AND NINTH IN DAKAR RALLY

Overdrive Racing and Toyota Gazoo Racing South Africa reached the ceremonial finish of the 2017 Dakar Rally with six of their original eight Toyota Hiluxes well positioned in the overall classification.

 After one of the most dramatic Dakar rallies in history, thanks to inclement weather conditions, vastly differing temperatures, high altitude and daunting navigation, the Spanish crew of Joan Roma and navigator Alex Haro headed the team home in an Overdrive Racing car running with support from Monster Energy, Power Electronics and Air Europa.

 The duo were careful through the final stage to confirm a comfortable fourth overall behind the record-breaking 13-time winner Stéphane Peterhansel, nine-time WRC champion Sébastien Loeb and five-time winner Cyril Despres.

 Toyota Gazoo Racing South Africa’s Giniel de Villiers and Dirk von Zitzewitz heading into the final day under a little pressure from Argentina’s Orlando Terranova. But De Villiers retained his composure to beat the Mendoza driver by 40 seconds and secure fifth place by the slender margin, in Dakar terms, of 2min 43sec.

 Zimbabwean Conrad Rautenbach and his South African co-driver Robert Howie ended their first Dakar Rally together in style with the fifth quickest time on the last special and that just emphasised the progress the former WRC driver has made in such a short time. It enabled the crew to bring the second of the Toyota Gazoo Racing South Africa Hiluxes to the finish in ninth place and gave Conrad the ‘Performance of the Day’ by rally officials.

  Van Loon sixth fastest on final Dakar stage

 The Dutch crew of Erik van Loon and Wouter Rosegaar set some impressive stage times over the last few days of the Dakar in their Overdrive Racing Toyota Hilux and SS12 was no exception, with Van Loon carding the sixth fastest stage of 29min 57sec to secure 14th overall.

 Alejandro Yacopini and Daniel Merlo began the last stage in their native Argentina from 19th overall. There were no major dramas to follow and Yacopini reached Buenos Aires inside the top 20. 

The Chinese crew of He Zhitao and Kai Zhao began the final special stage in 34th in the general classification after running behind their team-mates for long periods during the second week. They fulfilled the objective of finishing the event in the Boundless Yong Rally Team car run by Overdrive Racing in 34th overall.

 Additional support for Overdrive Racing came from Power Electronics and Kappa clothing.

  TODAY Drivers have hit problems on final Dakar stages before, but the special stage was only 64km in length and took place close to Río Cuarte. That left a monster of a road liaison to cope with of 786km from the stage finish to Buenos Aires via the town of Villa Maria and the city of Rosario. The ceremonial finish then took place outside the Argentina Automobile Club (ACA) in the Argentine capital.

  WHAT THEY SAID:

 JEAN-MARC FORTIN, CEO of Overdrive Racing “It was a very difficult Dakar and one that we will all remember for a long time. I would like to say thanks to everyone in our team for their hard work in the face of very difficult weather conditions and long days and nights in extreme conditions. We showed that the Toyota Hilux was competitive from the start of the Dakar and it was a huge disappointment for the whole team that we lost Nasser (Al-Attiyah) so early after he had taken the lead. Our other drivers did a superb job and Nani and Giniel reached the finish in fourth and fifth places. Conrad showed considerable potential with his stage performances over the last few days and we are delighted to see Erik Van Loon, Alejandro Yacopini and He Zhitao at the finish in Buenos Aires.” 

GINIEL DE VILLIERS – Car 302 “Obviously we’re a little bit disappointed, but you have to give big congratulations to our rivals because they deserve their success. All in all it was a very tough Dakar with plenty of navigation, which is good. It was a pity that two stages were cancelled.” 

JOAN ROMA – Car 305 “Well, the contest is over. It seems like yesterday that we were in Asuncion before starting the adventure. I guess we have had good adventures and misadventures. I am happy, although I suppose you are never happy if you don’t win. We started every stage trying to do our best. This race is never over until the last kilometre. We knew that fighting the Peugeots was a difficult task, but that was the fun part. If Toyota continues like this and we work a little more, we can win this race. Fourth is the first place that is not on the podium. But after some of the issues we had, this is a good result.” 

2017 Dakar Rally – SS12 result (top 8 only):

1. Sébastien Loeb (FRA)/Daniel Elena (MCO) Peugeot 3008 DKR 28min 55sec
2. Stéphane Peterhansel (FRA)/Jean-Paul Cottret (FRA) Peugeot 3008 DKR 29min 14sec
3. Giniel de Villiers (ZAF)/Dirk von Zitzewitz (DEU) Toyota Gazoo Hilux 29min 25sec
4. Cyril Despres (FRA)/David Castera (FRA) Peugeot 3008 DKR 29min 48sec
5. Conrad Rautenbach (ZWE)/Robert Howie (ZAF) Toyota Gazoo Hilux 29min 55sec
6. Erik van Loon (NLD)/Wouter Rosegaar (NLD) Toyota Hilux Overdrive 29min 57sec
7. Orlando Terranova (ARG)/Andreas Schulz (DEU) John Cooper Works Rally Mini 30min 05sec
8. Joan Roma (ESP)/Alex Haro (ESP) Toyota Hilux Overdrive 30min 16sec

 2017 Dakar Rally – final standings after SS12:

1. Stéphane Peterhansel (FRA)/Jean-Paul Cottret (FRA) Peugeot 3008 DKR 28hr 49min 30sec
2. Sébastien Loeb (FRA)/Daniel Elena (MCO) Peugeot 3008 DKR 28hr 54min 43sec
3. Cyril Despres (FRA)/David Castera (FRA) Peugeot 3008 DKR 29hr 22min 58sec
4. Joan Roma (ESP)/Alex Haro (ESP) Toyota Hilux Overdrive 30hr 06min 13sec
5. Giniel de Villiers (ZAF)/Dirk von Zitzewitz (DEU) Toyota Gazoo Hilux 30hr 39min 18sec
6. Orlando Terranova (ARG)/Andreas Schulz (DEU) John Cooper Works Rally Mini 30hr 42min 01sec
7. Jakub Przygonski (POL)/Tom Colsoul (BEL) John Cooper Works Rally Mini 33hr 04min 17sec
8. Romain Dumas (FRA)/Alain Guehennec (FRA) Peugeot 3008 DKR 33hr 13min 31sec
9. Conrad Rautenbach (ZWE)/Robert Howie (ZAF) Toyota Gazoo Hilux 33hr 29min 43sec
10. Mohammed Abu Issa (QAT)/Xavier Panseri (FRA) John Cooper Works Rally Mini 33hr 43min 00sec
14. Erik van Loon (NLD)/Wouter Rosegaar (NLD) Toyota Hilux Overdrive 34hr 54min 56sec
19. Alejandro Yacopini (ARG)/Daniel Merlo (ARG) Toyota Hliux Overdrive 37hr 17min 21sec
34. He Zhitao (CHN)/Kai Zhao (CHN) Toyota Hilux Overdrive 54hr 03min 55sec

MARCO BULACIA GUIDES HIS SOUTH RACING FORD RANGER TO A TOP 20 FINISH IN GRUELLING DAKAR RALLY

Marco Bulacia and Claudio Bustos cruised through the short final special stage of the 2017 Dakar Rally to ensure that they steered their South Racing Ford Ranger safely to the finish podium in Buenos Aires in 20th overall.

 The Bolivian and his Argentinean navigator had overcome minor issues during the course of 12 punishing days, where Mother Nature forced the cancellation of two special stages and temperatures fluctuated wildly from the mid-forties Centigrade to sub-zero at altitude.

 The Ford Ranger was reliable and competitive from the start and it was fitting that Bulacia should complete the event in the top 20, having finished 21st with South Racing in 2016. He completed the final special in 16th position to secure the top 20 finish.

 The only setback for the team was the loss of the DMAS South Racing Ford Ranger of Spaniard Xavier Pons and his Argentinean navigator Ruben Garcia on the second special stage in Argentina. Pons had been second fastest on the opening special in Paraguay before crashing heavily on the run across the Grand Chaco the following day.

  “The rally started superbly for us with Xevi (Pons) taking second position on the Prologue and, up until his accident on day two, he was running in the top three on the Dakar and in the split times,” said Scott Abraham, managing director of South Racing. “This showed the true potential of the Ford Ranger. Marco ran a very conservative and solid rally to 20th overall. 

“The weather played a key role. We lost some of the bigger stages that could have affected some of the overall positions. The navigation was also tough. Marco lost a waypoint as well and that would have put him higher in the overall classification. Saying that, I think they did a great job to get into the top 20. The mechanics worked in some of the hardest conditions we have seen on the Dakar or in any race around the world. A big thanks to them and to all our partners, who have supported us on the Dakar and throughout the year.”

 Bulacia’s latest generation South Racing Ford Ranger was prepared by Neil Woolridge Motorsport (NWM) with collaboration from South Racing. Bulacia had additional backing from YPFB, Vialco, Hard Rock Santa Cruz, BOA and Ende for his second Dakar with South Racing.