• 29ª Baja Portalegre 500


    22 a 24 de Outubro de 2015
  • Baja TT Idanha-a-Nova


    11 e 12 de Setembro de 2015
  • Baja TT Proença / Mação / Oleiros


    20 e 21 de Junho de 2015
  • Baja Cidade Europeia do Desporto


    30 e 21 de Maio de 2015
  • Rali TT Vinhos Carmim


    1 e 2 de Maio de 2015
  • Baja TT Rota do Douro


    27 e 28 de Março

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Ricardo Carvalho (Open) e Mauro Silva (Stock) vencem na Sertã

Ricardo Carvalho foi novamente o piloto Yamaha mais em destaque na Baja TT do Pinhal. Terminou a prova no 2º lugar absoluto e venceu na Classe Open a Taça promovida pela YAMAHA Motor Portugal dedicada ao modelo YXZ 1000R.

 Nesta que foi a quinta jornada da Taça Yamaha YXZ 1000R e do CNTT a classe Stock continua a somar vencedores distintos prova atrás de prova. Desta vez o triunfo pertenceu a Mauro Silva que foi acompanhado por Luís Godinho.

 Com um total de 350 quilómetros cronometrados, a Baja TT do Pinhal que contou com 13 participantes inscritos nesta competição monomarca, arrancou na sexta-feira com um prólogo de 9,57km’s na zona de Moitas, ao qual se seguiu um setor seletivo de 31,44 km. No Sábado pilotos e equipas tiveram de cumprir debaixo de altíssimas temperaturas um troço de 136,91 km ao qual se seguiu um derradeiro setor seletivo de 160,04 km.

 Na Classe Open Ricardo Carvalho terminou com uma vantagem de 13m50s sobre a dupla Mário Franco/Luís Engeitado e 21m08s para Marco e João Silva que se classificaram nas posições imediatas e à frente do veterano António Ferreira.

 Já na classe stock, onde Mauro Silva liderou do início ao fim, Fernando Pinheiro com Gonçalo Félix ao seu lado foi segundo classificado à frente da dupla Luís Vaz/Rafael Loureiro.

 Após cinco provas a classe Open é liderada por Ricardo Carvalho com 100 pontos, seguido de Marco Silva (76) e Mário Franco (58). Na classe Stock a primeira posição é ocupada agora por Fernando Pinheiro com 74 pontos, enquanto nas posições seguintes estão José Manescas (61) e Luís Vaz (56).

 A Taça Yamaha YXZ 1000R regressa em setembro, altura em que se disputa a Baja de Idanha.

Pedro Grancha/Tiago Neves (Can-Am), António Maio (Yamaha) e Arnaldo Martins (Suzuki) vencem na Sertã

Arnaldo Martins é o novo Campeão Nacional Quad 

Numa jornada marcada por altíssimas temperaturas pontuadas por cargas de água e por mais de 300 quilómetros cronometrados a Baja TT do Pinhal foi animadíssima do ponto de vista desportivo e sagrou antecipadamente três novos campeões.

  Pedro Grancha (Can-Am) estreia-se a ganhar

Nos SSV a jornada foi como de costume muito animada. Pelas primeiras posições passaram os mais variados pilotos das três marcas que competem nesta disciplina. O prólogo foi ganho como vem sendo habitual por João Lopes no Polaris Turbo. O piloto de Torres Vedras registou assim o quatro triunfo em outros tantos prólogos disputados. Seria, todavia, Pedro Santinho Mendes a ascender à liderança após SS1 e aí se manteve até perto dos 100 quilómetros do dia seguinte quando um despiste o colocou fora de prova.

 Assumiu então o comando vindo a conquistar com todo o mérito uma saborosa vitória Pedro Grancha um ex-campeão auto que este ano embarcou num novo desafio aos comandos deste Can-Am. Em Yamaha Ricardo Carvalho voltou e a ser 2º classificado à geral e ascendeu a essa posição no campeonato. O ex-campeão Quad venceu ainda a Classe Open da Taça Yamaha. O terceiro lugar no pódio absoluto pertenceu ao Can-Am de David Tubarão um dos muitos pilotos que este ano aderiram aos SSV.

 O Vencedor do Troféu Polaris foi Rui Serpa que levou o seu RZR Turbo ao 4º lugar absoluto. Nas posições seguintes terminaram mais três Can-Am Makerick X3: João Monteiro em 5º apenas 56s à frente de Ruben Faria, com Bruno Martins a ser 7º e a manter a liderança do campeonato.

  Maio melhor que Bühler num duelo que promete continuar

Nas duas rodas o domínio inicial pertenceu a Sebastian Buhler mas uma ponta final fortíssima e acima de tudo sem erros por parte do campeão António Maio deram-lhe terceira vitória da temporada e um reforço na liderança do Campeonato. Depois de ter assumido a liderança a meio do primeiro setor seletivo de sábado o jovem piloto da Yamaha que tinha vencido o prólogo teve algumas falhas que atrasaram. O segundo lugar de Sebastian Buhler continua a mantê-lo na luta pelo título que promete ser renhidíssimo até ao final da temporada.

  Luis Teixeira e Luis Cunha campeões

Luís Teixeira companheiro de equipa de Maio aproveitou bem a ausência de Mário Patrão para conquistar um lugar no pódio absoluto da corrida e acima de tudo reconquistar o título na classe TT3. De salientar que foi um pódio integralmente Yamaha numa corrida que teve ainda como vencedores Fernando Ferreira na Classe TT1 e Martim Ventura na Classe Promoção também eles pilotos Yamaha. Luis Cunha aos comandos de uma KTM, piloto que este ano se estreou em competição, venceu entre os veteranos e sagrou-se campeão nesta classe. Também em KTM venceu Flávia Rolo a Taça das Senhoras.

  Arnaldo Martins já é campeão

A prova dos Quad quase se resumiu à quinta vitória consecutiva de Arnaldo Martins e á consequente conquista do tão ambicionado título nacional. No final o piloto da Suzuki exprimia toda a sua enorme alegria. A 14m de Arnaldo Martins terminou Joni Fonseca em Yamaha numa corrida em que apenas estes dois pilotos concluíram a prova.

 Classificações (após cinco provas) 

Com Arnaldo Martins já campeão e a luta nas motos centrada no duelo Maio vs Buhler (embora matematicamente Mário Patrão também possa aspirar ao título), é nos SSV que muitas mudanças poderão ainda ocorrer. Matematicamente há 11 pilotos que podem ser campeões, mas apenas Bruno Martins depende apenas de si para o conseguir.

 SSV: 1º Bruno Martins (Can-Am), 74 pontos; 2º Ricardo Carvalho (Yamaha), 59; 3º João Monteiro, 51; 4º Pedro Mendes (Can-Am), Vitor Santos (Can-Am) e João Lopes (Polaris), 50; 7º João Dias (Polaris) 48; 8º Pedro Grancha (Can-Am), 36.

 Moto: 1º António Maio (Yamaha), 115 pontos; 2º Sebastian Bühler (Yamaha), 90; 3º Mário Patrão (KTM) 68; 4º Luís Teixeira (Yamaha), 66; 5º David Megre (KTM), 38.

Quad: 1º Arnaldo Martins (Suzuki), 125 pontos; 2º Filipe Martins (Kawasaki), 40; 3º Joni Fonseca (Yamaha), 33; 4ºVitor Caeiro (Yamaha), 29; 5º Luís Pimenta (Suzuki), 22.

 O CNTT faz agora a sua habitual pausa de verão e regressa em setembro para a Baja TT de Idanha.

CAREER-BEST FOURTH PLACE FOR FERNANDO ALVAREZ WITH SOUTH RACING AT THE ITALIAN BAJA


· Germany’s Jürgen Schröder misses out on Pordenone finish in second car 

Spain’s Fernando Alvarez and Germany’s Jürgen Schröder endured mixed fortunes with South Racing at a gruelling Italian Baja, round six of the FIA World Cup for Cross-Country Rallies, in northern Italy.

 Alvarez and Argentinean navigator Juan-Pablo Monasterolo climbed through the field in their Conarpesa-backed Toyota Hilux and eventually finished a superb fourth overall – a career-best performance for the Spaniard.

 Schröder and his son Maximilian incurred time penalties early in the race and faced a climb back through the field from then on in the second South Racing car. The German duo were 14th heading into the final stage but missed out on the finish in Pordenone after a late accident damaged their Toyota’s front suspension.

  “I am really happy with this result,” said Alvarez. “It was a tough, difficult rally but we stayed away from problems and that is always important. Punctures were an issue and it was not easy in the dust behind other cars, but this is a great result for us.”

  “This was a very good race for Fernando and emphasised his continual improvement,” said South Racing’s managing director Scott Abraham. “Unfortunately, he had three punctures on the final stage and finished the special on a wheel.

 “Jürgen damaged a prop shaft in a river bed on a stone on Saturday and then broke the engine mountings and damaged the wiring harness at the same time. I guess it was a chain reaction. They restarted this morning, had a very good first stage and had to contend with dust, starting further behind. The last stage started well and then, unfortunately, they had a small accident towards the end and damaged the front suspension.”

 The South Racing duo began brightly and Schröder and Alvarez were classified in ninth and 11th positions through the opening 19.8km of the Memorial Azzaretti special stage on Friday evening. But Alvarez moved up to ninth position when Schröder incurred 17 minutes of time penalties and slipped to 23rd.

 The duo were classified in eighth and ninth through the first of three runs through a 91.8km ‘Cantina’ selective section from San Lorenzo to Valvasone and Alvarez held eighth overall. Alvarez carded the seventh quickest time on his second run – the Spaniard beating his first run by 3min 31sec – but Schröder suffered prop shaft and engine mounting issues, dropped another 40 minutes to the leaders and slipped to 17th place.

 Another top 10 time on Cantina 3 enabled Alvarez to reach the night halt in sixth position and Schröder began the final day from 16th.

 The final day’s action took place over two passes through the 86.4km Valvadrom stage between Valvasone and Rauscedo. The duo clocked the fourth and seventh quickest times through the first one and climbed to fourth and 14th in the overall rankings, but Schröder missed out on the finish after his late accident, as Alvarez confirmed an excellent fourth overall and looks ahead to Baja Spain next month.

 2017 Italian Baja – final positions

1. Jakub Przygonski (POL)/Tom Colsoul (BEL) Mini All4 Racing 5hr 41min 21.7sec
2. Miroslav Zapletal (CZE)/Marek Sykora (SLO) Hummer H3 Evo VII 5hr 57min 33.8sec
3. Mohammed Abu Issa (QAT)/Xavier Panseri (FRA) Mini All4 Racing 6hr 12min 44.1sec
4. Fernando Alvarez (ESP)/Pablo Monasterolo (ARG) South Racing Toyota Hilux 6hr 16min 09.7sec
5. Jes Munk (DNK)/Sébastien Delaunay (FRA) Toyota Hilux Overdrive 6hr 27min 37.5sec
6. Elvis Borsoi (ITA)/Stefano Rossi (ITA) Toyota Toyodell 6hr 30min 40.1sec

OVERDRIVE RACING’S MUNK FINISHES FIFTH AFTER DRAMATIC FINAL DAY AT ITALIAN BAJA

· Late retirements for Chabot, Kaczmarski and Domzala in Overdrive Toyotas

 Overdrive Racing was on course for second and third overall at the Italian Baja, round six of the FIA World Cup for Cross-Country Rallies, with two short stages to run on Sunday.

 But a series of flat tyres cost Martin Kaczmarski his chance of snatching third place and engine issues prevented Aron Domzala from finishing second and Ronan Chabot from snatching a potential third place on the final stage. The bright stop on a disappointing day in Italy for Overdrive Racing was a fine fifth position for Denmark’s Jes Munk and French co-driver Sébastien Delaunay after earlier electrical issues in the fourth Toyota Hilux.

 The French duo of Chabot and Gilles Pillot missed out on the final podium with last stage engine problems on an event that was won by Poland’s Jakub Przygonski from Czech driver Miroslav Zapletal. Overdrive Racing’s Nasser Saleh Al-Attiyah missed the Baja because of a date clash with the Cyprus Rally, but still leads the FIA World Cup standings after six rounds.

 Kaczmarski teamed up with Finland’s Tapio Suominen and looked set for a third-placed finish until he suffered a series of four flat tyres on the penultimate stage and retired. Fellow Pole Domzala and navigator Maciej Marton held second for much of the rally in an all-Polish lock-out of the podium places, but Domzala sustained engine problems on the penultimate stage and also missed out on a potential podium finish.

 Overdrive Racing’s CEO Jean-Marc Fortin said: “Mixed thoughts from the rally this time. We were on course for second and third places for Aron and Martin and even Ronan until the last stages and that is very disappointing. We had two cars in the top three for much of the rally but I am pleased for Jes that he achieved such a good result in difficult conditions with the heat and the dust.”

 Przygonski clocked the fastest time through the 19.8km of the opening muddy and dusty super special stage at Valvasone and opened up a lead of 31 seconds over Domzala.

 The Pole’s Overdrive Racing colleagues, Kaczmarski and Chabot, slotted into sixth and 14th but Munk suffered electrical problems and was classified in 19th place heading into the weekend. Kaczmarski missed out on a potential stage win after sustaining a rear right puncture that forced him to finish the stage on a wheel rim and flailing rubber.

 The meat of the northern Italian action began on Saturday morning with the first of three runs through a 91.8km ‘Cantina’ selective section near San Lorenzo and Valvasone. Kaczmarski hit back with the quickest time of 1hr 10min 28sec through the first run and moved 33.1 seconds behind his fellow Pole.

Domzala and Chabot were fifth and seventh and held fourth and seventh overall. Munk recovered from his super special delays to set the 12th fastest time in hot, humid conditions across a wide variety of terrain, water splashes and river crossings.

 Domzala pressed home his advantage in the second run through Cantina and climbed above Kaczmarski and into second overall, 1min 45.4sec behind Przygonski. Kaczmarski, Chabot and Munk were fourth, sixth and ninth quickest. The Frenchman held fifth place and Munk moved up to ninth.

 Przygonski was again quickest on the third run to take a lead of 2min 35.4sec over Domzala into the overnight halt in Pordenone. Kaczmarski was third, Chabot fifth and Munk was up to 10th.

 The final day’s action took place over two passes through a Valvadrom special stage of 86.4km between Valvasone and Rauscedo. Przygonski clocked the fastest time of 1hr 02min 36sec through the opener to extend his lead over Zapletal to 9min 04sec after Domzala hit engine trouble, incurred a stage maximum penalty and slipped out of contention.

 Kaczmarski lost nearly half an hour and slipped to seventh overall after sustaining several punctures and then lost time in the dust. Chabot and Munk were third and eighth, with punctures an issue for Munk as well.

 Przygonski held on to take the win from Zapletal, but there was late disappointment for Chabot, who missed out on the final podium place to Mohammed Abu Issa after engine issues. Kaczmarski’s tyre woes meant that he missed the final stage and Munk duly climbed to fifth at the finish of a dramatic final day in Italy. Chabot and Kaczmarski were eventually classified in ninth and 11th overall with time penalties added by rally officials.

 The next round of the FIA World Cup for Cross-Country Rally is Baja Spain on July 21-23. 2017

Italian Baja – final positions (unofficial @ 14.50hrs):

1. Jakub Przygonski (POL)/Tom Colsoul (BEL) Mini All4 Racing 5hr 41min 21.7sec
2. Miroslav Zapletal (CZE)/Marek Sykora (SLO) Hummer H3 Evo VII 5hr 57min 33.8sec
3. Mohammed Abu Issa (QAT)/Xavier Panseri (FRA) Mini All4 Racing 6hr 12min 44.1sec
4. Fernando Alvarez (ESP)/Pablo Monasterolo (ARG) Toyota Hilux 6hr 16min 09.7sec
5. Jes Munk (DNK)/Sébastien Delaunay (FRA) Toyota Hilux Overdrive 6hr 27min 37.5sec
6. Elvis Borsoi (ITA)/Stefano Rossi (ITA) Toyota Toyodell 6hr 30min 40.1sec
9. Ronan Chabot (FRA)/Gilles Pillot (FRA) Toyota Hilux Overdrive 11hr 57min 05.3sec
11. Martin Kaczmarski (POL)/Tapio Suominen (FIN) Toyota Hilux Overdrive 12hr 12min 50.8sec 

FIA World Cup for Cross-Country Rallies – standings after round 6 (unofficial):

1. Nasser Saleh Al-Attiyah (QAT) 150pts
 2. Jakub Przygonski (POL) 114pts
3. Khalid Al-Qassimi (ARE) 105pts
4. Mohammed Abu Issa (QAT) 84pts
5. Yasir Saeidan (SAU) 82pts
 6. Aron Domzala (POL) 76pts, etc

domingo, 18 de junho de 2017

Italian Baja: Kuba Przygonski celebrates first win as MINI ALL4 Racing driver

· Mohamed Abu Issa comes third 

· Przygonski now second in the World Cup standings

 After his switch from two to four wheels for the 2016 Dakar Rally, the young Pole now celebrated his first win in the Car cetegoryTogether with his Belgian navigator, Tom Colsoul, he won the sixth round on the FIA Cross Country Rally World Cup calendar, the Italian Baja. With this success he worked his way up to second position in the World Cup standings. Meanwhile, Mohamed Abu Issa (QAT) and Xavier Panseri (FRA) in a second MINI ALL4 Racing finished third, in the Baja. 

Przygonski held the lead from the Super Special Stage on Friday evening. Altogether, he won four of the six stages.

“My first win,” beamed the Pole. “We pushed right from the start but the Baja wasn’t easy. Very technical and partially tricky when it came to the navigation. The MINI ran flawlessly. At the beginning, the route took us across muddy sections and in was very slippery. Today, however, it was dry and bumpy.”

 In the meantime, Abu Issa had some bad luck on Saturday morning when he laid his MINI on the side after getting stuck o the outside of a corner. Issa and Panseri succeeded in getting the vehicle back on its wheels but they lost too much time to have a chance of making it to the very top.

 The next FIA Cross Country Rally World Cup round is the Baja Aragon in Spain. And before the Baja Aragon, the calendar features another season highlight: The Silk Way Rally, from Moscow, Russia, to Xian, China. In the coming days we will announce the drivers who will contest this event. 

Overall standings Italian Baja 2017:

1. J. Przygonski (POL) / T. Colsoul (BEL) MINI ALL4 Racing – 5h 41m 21s
2. M. Zapletal (CZE) / M. Sykora (SLO) Hummer – 5h 57m 33s
3. M. Abu Issa (QAT) / X. Panseri (FRA) MINI ALL4 Racing – 6h 12m 44s

Alejandro Martins triunfa na Sertã e reentra na luta pelo título

Ricardo Porém desistiu e João Ramos atrasou-se no início do segundo dia terminando na sétima posição

Depois de nas duas passagens pelo prólogo da Baja TT do Pinhal, realizadas na sexta-feira, Ricardo Porém e João Ramos terem travado uma luta intensa pela liderança da classificação geral na terceira prova do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno, tudo fazia prever que neste sábado a luta pela vitória final se resumiria a uma batalha entre os pilotos do Ford Range e da Toyota Hilux.

 No entanto, foi logo no início do segundo dia que as expectativas criadas no dia anterior foram por ‘água abaixo’. João Ramos até entrou melhor e na passagem pelo primeiro ponto de controlo do SS1 já tinha recuperado o tempo perdido no dia anterior e ultrapassado Ricardo Porém na geral virtual. Contudo, perto dos 75km da terceira especial da prova que se realizou na zona da Sertã, Oleiros e Proença-a-Nova, João Ramos teve uma saída de pista que levou a que o piloto da Toyota perdesse 49 minutos para Alejandro Martins, que acabaria por vencer o SS1, beneficiando da desistência de Ricardo Porém.

 Depois do incidente de João Ramos, Porém tinha nas mãos uma grande oportunidade para sair da Baja TT do Pinhal com a liderança do campeonato reforçada. Contudo, pouco quilómetros depois dos problemas na viatura de um dos seus mais diretos adversários, o piloto de Leiria teve, também ele, problemas (transmissão traseira esquerda) no seu Ford Ranger que o obrigaram a desistir do evento organizado pela Escurderia de Castelo Branco. Alejandro Martins, que seguia tranquilo na terceira posição, foi forçado a remover Ricardo Porém da pista, razão pela qual acabou por perder algum tempo para os seus perseguidores, deixando inclusive de liderar o evento, ainda que de forma virtual (a organização viria a repor os 4 minutos e 50 segundos perdidos na desistência do líder do Campeonato Nacional). Ainda assim, o piloto da Toyota Hilux conseguiria em pista, e até ao final do SS1 voltar à liderança da Classificação Geral quando só faltavam cumprir os 136.91km do SS2.

 No último sector seletivo da Baja TT do Pinhal, Alejando Martins não teve quaisquer problemas para manter a liderança e levar até ao final a sua Toyota, confirmando assim a sua primeira vitória no Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno. “Fizemos uma excelente prova e penso que a vitória é merecida. Este segundo dia foi muito complicado devido ao calor mas acabámos por conseguir chegar ao final da manhã com uma margem confortável que nos permitiu gerir o tempo no último sector seletivo. Esta primeira vitória é muito positiva porque nos deixa numa boa posição para continuar a lutar pelo título. Em Idanha-a-Nova acredito que posso chegar à vitória, mas um pódio já seria um resultado muito positivo”, disse o vencedor.

 Apesar da incrível história que levou Alejandro Martins à vitória, destaque ainda, para a consistência demonstrada por Nuno Madeira (Kia Sportage TT) que o levou ao segundo lugar da Geral, ainda que longe de Martins. Henrique Silva (Mini Cattiva), Alexandro Franco (BMW Evo X1) e Pedro Dias da Silva (Mazda Proto) completaram o Top5. João Ramos, travou uma batalha contra o tempo e contra as adversidades com o objetivo de conseguir somar o máximo de pontos, logrando apenas o 7.º lugar à Geral, recuperando seis posições nos últimos 136.91km do evento, o que lhe garantiu 9 preciosos pontos na luta pelo título.

 Na categoria T2, Rui Sousa (Isuzu D-Max) levou a melhor, mesmo que César Sequeira tenha liderado a categoria até desistir devido a problemas mecânicos. Em T8, Nuno Tordo comandou a classificação do início ao fim, terminando com uma vantagem de mais de cinco minutos sobre Hugo Raposo (Nissam Pathfinder).

 No Desafio Mazda, Pedro Dias da Silva levou a melhor entre os inscritos nesta competição monomarca onde só participam viaturas Mazda Proto. Na prova a contar para Taça Nacional, Mário Mendes levou a melhor ao volante de um Suzuki Jimny.

 Depois da duríssima prova agora terminada, que contou com temperaturas extremamente altas, seguidas de aguaceiros, o Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno continua a 8 e 9 de Setembro, com a realização da Baja TT Idanha-a-Nova, prova também organizada pela Escuderia de Castelo Branco.

 Top-3 absoluto

1º A. Martins/J. Marques Toyota Hilux 5h34m49,00s
2º N. Madeira/M. Costa Kia SportageTT a 8,25m
3º H. Silva/R. Gomes Mini Cattiva a 12,56m

Rui Sousa vence pela terceira vez

• Equipa conquista 6º lugar da classificação geral

 Rui Sousa / Carlos Silva, levaram pela terceira vez consecutiva a ISUZU D-Max T2 à vitória na Baja TT do Pinhal. A dupla do Team ISUZU Pro Racing, venceu todos os sectores selectivos, juntando a este fantástico resultado o 6º lugar da classificação geral absoluta.

 Numa corrida marcada pelo calor sufocante, pela dureza dos pisos e por um traçado muito técnico, a dupla da Prolama demonstrou uma capacidade de gestão de todas as envolventes digna de registo “… foi um fim de semana muito difícil, mas conseguimos ultrapassar todas as dificuldades. A Isuzu D-Max demonstrou uma fiabilidade notável e conseguimos a terceira vitória do ano; um registo que é um prémio e reflete todo o trabalho dos elementos da Equipa Prolama. Existe ainda margem para progressão e vamos trabalhar para melhorar a D-Max com os olhos postos nos desafios internacionais que nos esperam. Para terminar tenho que agradecer a todos os nossos Patrocinadores, Equipa técnica e Amigos que nos apoiaram incondicionalmente neste fim de semana tão difícil; assim como deixar uma palavra de pesar a todos os familiares das vitimas dos incêndios que assolaram a região onde estivemos…” concluiu Rui Sousa.

 Anders Svesson/ João Carvalho, sentiram as dificuldades relatadas e não conseguiram terminar a prova, embora conseguissem terminar o primeiro sector selectivo de 200 quilómetros na 4ª posição da categoria T2. “…mais uma vez adorei a prova, e vou ficar com enormes recordações desta Baja, mas infelizmente o calor e o desconhecimento total destas condições limitaram o nosso desempenho. Estamos já com o nosso pensamento direcionado à Baja de Aragon em Espanha, onde pretendemos estar presentes com o Team ISUZU Pro Racing…” concluiu o piloto Sueco. 

Por sua vez Georgino Pedroso / António Rodrigues, foram surpreendidos pelas armadilhas do traçado, acabando fora de estrada após um despiste “…não foi o resultado para o qual todos trabalharam, mas as corridas são isto mesmo. As condições da prova foram severas e acabamos por ser apanhados numa armadilha. Vamos regressar em Idanha para voltar à luta dos primeiros ...” referiu Georgino Pedroso. O Campeonato Nacional Todo o Terreno, regressa com a Baja TT de Idanha a Nova, prova que volta a ser organizada pela Escuderia de Castelo Branco.

Pedro Dias da Silva vence Desafio e garante quinto lugar na Baja TT do Pinhal

Três Mazda Proto no “Top Ten” 

Teve lugar este fim-de-semana na região da Sertã aquela que, certamente, será recordada como uma das mais duras provas de Todo-o-Terreno disputadas em solo nacional. A Baja TT do Pinhal chegou a ter momentos dramáticos com pilotos e navegadores a chegarem ao final do primeiro sector selectivo, disputado entre as 10h30 e as 14h00, à beira do colapso, tal o calor que se fez sentir e que dentro dos carros de prova chegou a ultrapassar os 60 graus.

 Foi, assim, sob condições verdadeiramente adversas que Pedro Dias Silva e José Janela garantiram a segunda vitória do ano no Desafio Total Mazda, ao qual juntaram um não menos brilhante quinto lugar da geral. Aliás, não deixa de ser curioso o facto de numa prova tão dura, terem terminado três Mazda Proto no lote dos 10 mais rápidos em prova, facto que serve para sublinhar a fiabilidade dos carros concorrentes ao Desafio, mas também e tenacidade e espírito de sacrifício dos pilotos que animam a competição levada a cabo pela Mazda Motor de Porrtugal e pela Total.

 Com este resultado, Pedro Dias da Silva está mais confortável na liderança do Desafio, voltando a somar 28 pontos (25 da vitória na prova e mais três pelo melhor tempo na Super Especial e em cada um dos Sectores Selectivos). Assim, o piloto de Tomar passa a somar 56 pontos, ao cabo de uma jornada que considerou “das mais duras que alguma vez disputei. Foi uma manhã muito complicada por causa do calor e, além disso, fizemos mais de 100 quilómetros apenas com tracção traseira. Para a tarde tudo correu de forma bem mais “pacífica” e no final conseguimos uma nova vitória e reforçamos a liderança no Desafio. Estamos todos de parabéns.” 

Depois do desaire em Reguengos de Monsaraz que o impediu de terminar a prova, Nuno Tordo/Antóno Serrão “vingaram-se” e garantiram o segundo lugar final no Desafio, numa prova em que o carro esteve impecável, mas “eu sofri muito. Nem consigo descrever o que passei no Sector Selectivo da manhã. Acho que se tivesse que cumprir mais 10 quilómetros isto podia ter corrido francamente mal. Cheguei à Sertã absolutamente desidratado, depois de um esforço hercúleo para trazer o carro até ao final do sector. No meio de tanto esforço este resultado acaba por ser um bom prémio para todos...”

Na mesma linha, Bruno Rodrigues, que este fim-de-semana repetiu o último lugar do pódio, a exemplo do que tinha assegurado na ronda alentejana, foi outro dos pilotos que teve um dia muito duro por causa do calor: “Não sei qual era a temperatura no carro, mas seguramente não era nada saudável. Estou muito contente com a performance e comportamento do meu Mazda Proto e só tenho pena de não ter conseguido tirar mais partido, mas a certa altura a única preocupação era chegar ao final e arrefecer. Conseguimos mais um bom resultado e acho que estamo no bom caminho em termos de desenvolvimento deste novo Mazda Proto, que ainda tem algum trabalho para fazer, mas cuja base é excelente.”

Quartos classificados à chegada à Sertã, Pedro Salgueiro/Luís Ribeiro foram mais um exemplo do quão difícil for completar os 190 quilómetros do Sector Selectivo matinal. Segundo o piloto: “hoje que não cometemos erros foi o calor a complicar-nos a vida. O Luís Ribeiro sentiu-se mal e tivemos que parar durante algum tempo. Temi pela saúde dele. Foi de facto muito complicado. Conseguimos chegar ao final e somámos mais 12 pontos, portanto nem tudo foi mau...” 

De referir que a dureza da secção matinal foi tal que várias equipas se viram obrigadas a abandonar, maioritariamente devido às altas temperaturas – acima de 42 graus – que foram sentidas ao final manhã. Foi este o caso de duas das formações concorrentes ao Desafio Total Mazda: Floriano Roxo/Nuno Roxo, Pedro Oliveira/Ricardo Oliveira. Pelo caminho, ficariam ainda Francisco Gil/Filipe Rasteiro, devido ao sobreaquecimento do motor do seu carro, e Bruno Oliveira/Paulo Marques, que abdicaram na ligação do parque de assistência para o parque de partida para o segundo sector selectivo, em Oleiros, com um problema na caixa de velocidades.

 O Desafio Total Mazda prossegue com a Baja TT Idanha-a-Nova, a disputar nos dias 8 e 9 de Setembro, novamente com organização da Escuderia de Castelo Branco.

 Classificação Final

1º Pedro Dias da Silva/José Janela (Auto Julio), 6h09m57s
2º Nuno Tordo/António Serrão (Hydraplan), 6h32m36s
3º Bruno Rodrigues/Ricardo Claro (Auto São Cristovão), 6h53m29s
4º Pedro Salgueiro/Luís Ribeiro (Julião e Filhos), 7h59m24s